Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018  Negócios   
 
Recomende este site
DesportoAveiro
 Notícias Anteriores:  últimos 7 dias  |  últimos 30 dias  |  anteriores
Venda de ovos moles certificados começa na Páscoa
2006/03/15

A comercialização de ovos moles certificados vai passar a fazer-se a partir da Páscoa, anunciou ontem o presidente da Associação de Produtores de Ovos Moles de Aveiro (APOMA), José Francisco Silva, noticia o Diário de Aveiro.

«Obtida recentemente a certificação dos ovos moles através da atribuição da Indicação Geográfica Protegida (IGP), o produto passará a ser vendido apenas em estabelecimentos autorizados ou pertencentes aos produtores.
Numa primeira fase, o produto certificado será comercializado apenas nos concelhos de Ovar, Murtosa, Estarreja, Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Aveiro, Ílhavo, Águeda, Vagos e Mira. Mais tarde, os ovos moles poderão ser vendidos em estabelecimentos de outros pontos do país que revelem interesse na comercialização. A venda ambulante passa a ser proibida.
Cada local de venda terá de estar identificado com uma placa englobando a imagem de marca dos ovos moles certificados, o símbolo da APOMA e o número de associado ou de autorização.
A comercialização do produto certificado poderá ser feita em barricas de madeira ou de porcelana, em caixas ou embalagens individuais. Em cada recipiente terá obrigatoriamente de ser colocado um rótulo que, entre outras informações, inclui uma etiqueta autocolante com um holograma estampado e número de série alfanumérico. O objectivo, salientou José Francisco Silva, é evitar a venda de ovos moles «adulterados».
A qualidade do doce conventual será ainda atestada pela fiscalização de um organismo privado de controlo, que poderá aplicar sanções aos comerciantes que cometam infracções na produção dos ovos moles, e por um painel de provadores que será criado pela Universidade de Aveiro (UA).
A certificação do produto foi conseguida após um processo já com vários anos. «Esta experiência demonstra que toda a gente fica a ganhar sempre que os agentes económicos se unem aos pólos tecnológicos», disse José Francisco Silva, aludindo à parceria da APOMA com a UA destinada à obtenção da IGP.

No início do processo, vários produtores «não acreditaram» que seria possível alcançar a certificação do doce típico de Aveiro, mas actualmente a APOMA já representa perto de 90 por cento dos fabricantes, havendo mais alguns em lista de espera, frisou o presidente da associação. Segundo o responsável, está já em curso o processo de certificação no espaço comunitário.

Dados fornecidos pela APOMA revelam que em 2003 foram produzidas 345 toneladas de ovos moles e consumidas 13 milhões de unidades. O sector, que emprega cerca de 350 pessoas, representa um volume de negócios de cinco milhões de euros por anuais. (Diário de Aveiro)

Enviar por email  Imprimir
ÒuvidÓ na TV
Questionário
Sim
Não


 Home  | Aveiro  | Negócios  | Desportos  | Agenda  | Fora de Casa 

hosting e produção Digitalwind