Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019  Aveiro   
 
Recomende este site
DesportoAveiro
 Notícias Anteriores:  últimos 7 dias  |  últimos 30 dias  |  anteriores
Rede experimental 5G em Aveiro - Primeira fase
2019/09/12

A Altice Labs fez esta quarta-feira uma demonstração da tecnologia 5G, com uma rede experimental instalada em Aveiro, num simulacro de um acidente de viação com as equipas de socorro usando comunicações 5G para suporte da sua intervenção no terreno, «aumentando a eficácia em situações reais, neste caso do socorro, através da utilização de vários equipamentos que fornecem imagens do local do acidente».

Segundo a Altice, com recurso a um drone, informação vital dos sinistrados em tempo real, graças à baixa latência, débito superior e novas funcionalidades de rede.

A empresa acrescenta que a resposta das autoridades e entidades «tende a deixar de ser standardizada, adaptando-se ao caso concreto, aumentando a sua eficiência e eficácia, podendo ser determinante no salvamento de vidas».

Segundo a Altice, a rede será alargada, ainda este mês, ao Parque de Feiras e Exposições de Aveiro, durante o Techdays’2019 e, posteriormente, ao centro da cidade.

A Ericsson configurou uma rede 5G E2E e a Altice Labs criou um laboratório 5G, e foi colocada esta quarta-feira em operação, em Aveiro, a primeira fase da rede experimental 5G da cidade. Aliás, enquadrando-se nos objetivos do projeto Aveiro STEAM City, da Câmara Municipal de Aveiro, segundo objetivos da Comissão Europeia para que exista pelo menos uma cidade com cobertura 5G em cada Estado-membro até 2020 e criar uma plataforma urbana de inovação tecnológica que suporte o desenvolvimento de competências e de novos negócios.

INFO ALTICE
Esta infraestrutura funcionará em overlay com a rede móvel da Altice MEO, constituindo um ecossistema completo – núcleo de rede, funções de edge e rádio 5G-NR (New Radio), usando a nova tecnologia de antenas ativas, com funcionalidades de beam forming e massive MIMO, na banda dos 3,6GHz, tendo, para o efeito, a Altice solicitado ao regulador – ANACOM – espectro de frequências na respetiva banda, para a realização de ensaios técnicos.

Apesar de não disponibilizar serviços comerciais, esta infraestrutura permite interligar, sobre um núcleo de rede comum, diversas redes de acesso – com e sem fios – possibilitando às instituições académicas, startups e PME da região, integrar, validar, testar e demonstrar novos produtos e serviços, num ecossistema que inclui utilizadores reais.

Com esta tecnologia (5G) e com esta aposta da Altice Labs, da Ericsson e do Município de Aveiro no desenvolvimento de uma plataforma tecnológica urbana, em que o 5G é apenas uma das suas vertentes, pretende-se, igualmente, demonstrar o potencial da tecnologia e da inovação para alterar, de forma positiva, a matriz económica da Região.

A construção das novas redes 5G, baseada numa forte componente de software, proporciona condições excecionalmente favoráveis para o envolvimento das pequenas empresas, no desenvolvimento de novos produtos e serviços inovadores, sem necessidade de recurso a investimentos elevados em infraestruturas. Abre-se, assim, à indústria portuguesa, a possibilidade de acelerar a sua transformação e modernização, melhorando o seu posicionamento no mercado internacional do sector das comunicações.

Para Luís Alveirinho, Chief Technology Officer da Altice Portugal “esta demonstração é mais uma materialização das vantagens da rede 5G no futuro, num território que vai beneficiar e continuar a evoluir com esta tecnologia – o socorro. Não só o intenso deployment de fibra ótica e a modernização das estações de base nos últimos anos, em todo o país, nos coloca numa posição mais confortável na evolução para o 5G, mas também a liderança de marcos importantes no roadmap, como foi caso da primeira demonstração em ambiente de rede comercial e com terminal pré-comercial 5G em julho do último ano ou da primeira transmissão televisiva em Portugal, utilizando a rede 5G em ambiente real, em parceria com a RTP”. A Altice Portugal tem estado na liderança e tem acompanhado os desenvolvimentos da tecnologia com equipas internas, bem como através da Altice Labs, que está a participar em diversos projetos inovadores 5G (H2020) com grande foco na área da virtualização, orquestração e gestão das redes, com o objetivo de tornar a tecnologia 5G como agregadora das diferentes redes que hoje se utilizam consoante o seu propósito.

A tecnologia 5G pretende suportar numa única infraestrutura diferentes serviços que tirem partido da menor latência, maior densidade de dispositivos ligados, maior largura de banda e elevada mobilidade. A Altice Labs tem participado, e nalguns casos lidera tecnicamente, em cerca de uma dezena de projetos internacionais relacionados com a introdução, exploração e operacionalização do 5G. A Altice Labs lidera ainda o projeto Mobilizador 5G, maior projeto de investigação a nível nacional, agregando e liderando esforços de múltiplos parceiros na criação de tecnologia portuguesa neste domínio chave para a evolução digital do País, tendo ainda criado o primeiro Living Lab 5G que permitirá aos seus parceiros explorar de forma confiável o que a nova tecnologia lhes potencia nas suas soluções.

Pretende-se, igualmente, demonstrar o potencial da tecnologia e da inovação para alterar, de forma positiva, a matriz económica da Região.

A construção das novas redes 5G, baseada numa forte componente de software, proporciona condições excecionalmente favoráveis para o envolvimento das pequenas empresas, no desenvolvimento de novos produtos e serviços inovadores, sem necessidade de recurso a investimentos elevados em infraestruturas. Abre-se, assim, à indústria portuguesa, a possibilidade de acelerar a sua transformação e modernização, melhorando o seu posicionamento no mercado internacional do sector das comunicações. Para demonstrar algumas das potencialidades e vantagens das tecnologias 5G, especialmente em situações de PPDR (Public Protection and Disaster Recovery), nomeadamente, o seu nível de desempenho bastante superior ao das redes atuais – menor latência, maior largura de banda e maior velocidade de deslocação dos utilizadores, entre outros – será realizado o simulacro de um acidente de viação em que as equipas de socorro – forças de segurança, bombeiros e pessoal de emergência médica – disporão de comunicações 5G-NR para suporte à sua intervenção no terreno, com débitos (medidos) de 1,23 Gbps da antena para o terminal (DL) e 116 Mbps sentido do terminal para a antena.

Enviar por email  Imprimir
Papa
Questionário
Sim
Não


 Home  | Aveiro  | Negócios  | Desportos  | Agenda  | Fora de Casa 

hosting e produção Digitalwind