Terça-feira, 20 de Novembro de 2018  Aveiro   
 
Recomende este site
DesportoAveiro
 Notícias Anteriores:  últimos 7 dias  |  últimos 30 dias  |  anteriores
Megajulgamento de burlas estreou sala do Tribunal
2011/10/26

A sala principal do Palácio da Justiça de Aveiro que vai receber o julgamento do caso Face Oculta, a partir do próximo mês de Novembro, já foi usada ontem (apesar de ainda não estar totalmente preparada) por um outro, também um megajulgamento, cujo início foi adiado para Fevereiro, noticia o Diário de Aveiro.

«Trata-se de um caso que também envolve um número relevante de pessoas. Só advogados são 20, além de 12 arguidos. Por isso necessitam de espaço como o que oferece a sala preparada para receber o caso do sucateiro de Ovar.

Tendo em conta que o julgamento do Face Oculta tem início no próximo dia 8, se ontem também começasse a ser julgado o caso das burlas, no mesmo espaço e durante um mês, esse facto inviabilizaria a utilização da sala que foi preparada para o caso que tem como principal arguido o sucateiro Manuel Godinho, que chegou a cumprir prisão preventiva até 28 de Fevereiro último.

O início do megajulgamento das burlas acabou, assim, por ser adiado devido à renúncia e falta de um advogado de um dos principais arguidos no processo. A arguida foi notificada para apresentar um novo causídico, no prazo de 20 dias, e se não o fizer será nomeado um pelo Tribunal.

O julgamento que “estreou” a sala diz respeito a um caso de burlas, alegadamente cometidas por uma empresa multiserviços, com sede em Aveiro, na área da contabilidade e seguros, que prejudicou pessoas de outras localidades e empresas, designadamente de crédito. Os 12 arguidos são acusados de associação criminosa, burlas de valor relevante e falsificação de documentos.

Essa empresa cruzava dados com contratos de crédito, envolvendo, por isso, falsificação de documentos, entre outros crimes. Uma prática habitual consistia na abertura de contas em nome das vítimas para depois serem efectuadas compras.

Num dos casos, uma vítima defendida pelo advogado Pires da Rosa, foi envolvida na compra de um purificador de água que não teve intenção de adquirir, mas que viu o seu nome envolvido nessa transacção. O queixoso alega que não fez a compra daquele aparelho, não assinou qualquer documento, mas o seu nome e os seus dados pessoais foram usados. A mesma vítima só não foi envolvida na compra de um carro avaliado em 18 mil euros porque o crédito foi recusado, segundo disse o advogado de defesa ao Diário de Aveiro.
Este processo foi investigado pelo Departamento de Investigação Criminal de Aveiro da Polícia Judiciária e a acusação foi feita pelo DIAP de Coimbra. O julgamento é presidido pelo juiz Vítor Azevedo Soares.

Face Oculta começa a 8 de Novembro Há várias novidades na nova sala que está a ser preparada para receber o julgamento do empresário de Ovar, acusado de 60 crimes de associação criminosa, corrupção, tráfico de influências, furto qualificado, burla qualificada, falsificação de documentos e perturbação de arrematações, envolvendo nomes conhecidos como Armando Vara, Lopes Barreira, José Penedos e o seu filho Paulo Penedos.

A principal mudança será a nível do espaço, que será maior, aumentando a capacidade da sala, possibilitando a participação de 52 advogados no lugar dos actuais oito, assim como podem estar várias dezenas de arguidos presentes em simultâneo.

Terá um novo equipamento de vídeo e projector de som. Com o projector será possível que todos os que se encontrem na sala consigam acompanhar o julgamento com mais pormenor, inclusive visualizando documentos que sem o novo equipamento apenas eram visíveis por quem os exibia e uma testemunha ou arguido do processo.
A operação que originou o caso Face Oculta é, também, da Polícia Judiciária de Aveiro» - Diário de Aveiro . notícia não acessível on line

Enviar por email  Imprimir
Vasco
Questionário
Sim
Não


 Home  | Aveiro  | Negócios  | Desportos  | Agenda  | Fora de Casa 

hosting e produção Digitalwind