Terça-feira, 18 de Setembro de 2018  Aveiro   
 
Recomende este site
DesportoAveiro
 Notícias Anteriores:  últimos 7 dias  |  últimos 30 dias  |  anteriores
Primeiro edifício de alta eficiência energética
2011/02/27

O primeiro edifício público de alta eficiência energética e baixo impacte em Portugal será construído na Quinta do Comandante, em Oliveira de Azeméis, por iniciativa da Universidade de Aveiro e da Câmara Municipal. É o projecto Parque do Cercal – Campus para a Inovação, Competitividade e Empreendedorismo Qualificado que inclui as novas instalações da Escola Superior Aveiro Norte (ESAN), e «será uma referência na eficiência energética e na construção sustentável em Portuga», segundo comunicado.

A obra está orçada em cerca de 4,5 milhões de euros, incluindo edifício e acessibilidades, e será financiada pelo “ON.2 – O Novo Norte” (Programa Operacional Regional do Norte). Em breve, será lançado o concurso público para realização da empreitada.

Cerca de 2.700 m2 serão de área útil, no qual se incluem cerca de 600 m2 de laboratórios, 500 m2 de oficinas, um auditório de 200 m2 e vários espaços para formação e reuniões. Está ainda prevista a construção de um novo acesso e de estacionamento.

O novo edifício «é uma máquina energética concebida para navegar ao longo dos anos numa relação calculada e equilibrada entre qualidade ambiental e consumo», segundo a memória descritiva do projecto. «Desde o início da sua concepção que a arquitectura obedeceu a princípios de sustentabilidade e, em particular, de eficiência energética que passa por um eficaz equilíbrio entre o aproveitamento da luz solar e as aberturas, no sentido de evitar grandes variações térmicas no interior. Logo, na implantação, procurou preservar, tanto quanto possível, as manchas de folhosas autóctones (carvalhos e sobreiros, por exemplo)».

É inovadora a lógica de concepção e «invulgar a solução adoptada para climatização do edifício, fazendo uso da energia geotérmica – uma das fontes possíveis de energia renovável». Será o princípio também a aplicar, «embora de forma diferente, nos futuros edifícios da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro (ESSUA) e no Complexo Interdisciplinar de Ciências Físicas Aplicadas à Nanotecnologia e à Oceanografia, no campus da Universidade de Aveiro».

A temperatura do solo ajuda a regular a temperatura do edifício, ou seja, aquece ou arrefece (consoante a temperatura acima do solo) a água que corre nas tubagens que vão até 120 metros de profundidade e que estão ligadas ao sistema de climatização do edifício. A metodologia e tecnologia a utilizar são inéditas em Portugal, apesar de sobejamente utilizadas nos países do norte da Europa.

INFO
O edifício foi concebido por uma equipa composta pela Estrutura de Projecto de Arquitectura e Desenvolvimento Físico da Universidade de Aveiro e por um conjunto de técnicos especialistas em eficiência energética – contribuindo para a investigação de ponta da UA. A obra constitui em si mesmo um modelo de intervenção, no qual se opta pela optimização da qualidade ambiental e higrotérmica (temperatura e humidade relativa) com um consumo muito baixo de recursos materiais e energéticos, pela redução das emissões de águas residuais, energia e gases, e pela minimização do impacte sobre a saúde humana, os recursos naturais, as alterações climáticas e a qualidade dos ecossistemas, projectando deste modo, todo o ciclo de vida do edifício.

Este projecto pretende constituir-se também uma referência no âmbito das áreas de Acolhimento Empresarial e Inovação, com as valências de: ensino e formação; investigação e desenvolvimento tecnológico; apoio à incubação de novas empresas; estímulo ao empreendedorismo; promoção do emprego qualificado; apoio activo ao tecido económico local e regional.

Enviar por email  Imprimir
ÒuvidÓ na TV
Questionário
Sim
Não


 Home  | Aveiro  | Negócios  | Desportos  | Agenda  | Fora de Casa 

hosting e produção Digitalwind