Terça-feira, 25 de Abril de 2017  Home   
 
Recomende este site
DesportoAveiro
TUBO DE ENSAIO - DIÁRIO DE MARIA
2003-9-4

Estávamos no pico do sol. E Setembro já cá canta, mas ainda assim, e meu cérebro torrava, e a fome própria da hora, desta vez não apareceu.

De maneira que aproveitei e fiz-me à estrada - sempre se ganham uns minutinhos de descanso, e um passeio pelo parque é melhor que o jantar aquecido da noite anterior com direito a passagem pelo lava-loiça e restantes afazeres...

Estou eu a ponderar nisto, quando vejo o Zé Leite - chiiiii!!!!! há anos que eu não via o homem!! se bem me lembro nessa última vez portou-se que nem um bardino, um verdadeiro bandido, por assim dizer, mas nada disso me ocorreu quando lhe pus a vista em cima - pelo contrário, foi com alegria que lhe fiz ali mesmo uma festa digna da quantidade de anos por pôr em dia.

Conversa pra aqui, conversa pra ali - o dito estava na mesma... e eu nem sei se isso é bom ou mau, quando um pobre nos pede esmola. O Zé vira a cara, eu dou-lhe umas moeditas. o Sr. das fotografias lança-me piropos e faz-se de parvo.

O Zé despede-se. Eu não ouço nem um nem outro - não percebo o que se passa. Sorrio tipo robot, para não pensarem que estou tantan e faço-me de novo à estrada. Então percebi: era o mendigo. Tinha os olhos brilhantes. Queria apenas dizer "obrigado, menina". Algo me tocou bem dentro do coração, e eu vi que a moeda que lhe tinha dado tinha sido vazia.

Eu nem me apercebera se o homem era novo ou velho, na verdade nem para ele olhei. Mas ele havia olhado para mim. Parecia dizer que em matéria de pobreza não haviam tantas diferenças assim...

Maria
Enviar por email  Imprimir
Tchim! tchim!
.
Questionário
Sim
Não


 Home  | Aveiro  | Negócios  | Desportos  | Agenda  | Fora de Casa 

hosting e produção Digitalwind